Blog Te Dou um Dado?

Enquanto imprensa especializada de celebridades, TDUD? foi convidado para o lançamento do cd/dvd “Elas”, de Fábio Jr. Enquanto pessoas que adoram champanhe e boa comida, fomos.

O convite mandava chegar às 20h, e chegamos. Porém, com o frio de 12 graus que atingia São Paulo – e a greve de ônibus -, éramos nós e mais três equipes de reportagem. Logicamente a gente só conhecia o povo da Rede TV!, porque somos target.

Depois de quinze minutos esperando em pé as portas da Casa Petra se abrirem, resolvemos dar uma andada até o shopping Morumbi, ali do lado, pra comer uma coxinha, porque tava fácil não. Já na porta, vimos o carro chegar: era Fabio Jr., seu segurança 4×4 (igual ao carro), e Mari “VAVÁ TE AMOOOOOOO” Alexandre. Entraram rapidamente pela porta lateral do salão.

Na entrada, recebemos pulseirinhas de “imprensa”, que infelizmente (queríamos guardar) o segurança tirou depois da coletiva. A assessora de imprensa de Fábio Jr., a única que não sentia frio no lugar (estava de short, camisa e sandália), avisou que essa pulseirinha daria acesso à sala de imprensa, no andar superior. Subimos para a coletiva.

Primeira parte: Coletiva de imprensa

Lá em cima, havia banquinhos brancos e um sofá. Nos sentamos no primeiro banquinho, a meio metro do sofá, verdes de fome. Aí a assessoria percebeu que estava todo mundo quase desmaiando, e resolveu liberar os garçons. Começou a chegar comida – a melhor do mundo -, sendo servida pelos garçons bombados – e a gente pegava todos. Eles vestiam calça e camisa pretas, e um avental de lantejoulas rosa que ia da cintura até o pé. Tentamos conseguir um, sem sucesso.

De repente, Fabio Jr. chega. Pensamos que seria melhor se ele se chamasse Fábio Sênior. Ele pergunta: onde eu sento?; TDUD? responde: “Senta aqui!” (Meta cumprida). A assessora que não sente frio manda que cada pessoa se apresente, fale o nome do seu veículo (“corsa preto!”), e faça a pergunta. A idéia era se apresentar como colunistas do Jornal do Boi, e perguntar se o Fábio gostava de maminha – pra ver a cara da Mari Alexandre, mas não deu porque 1. Mari Alexandre não acompanhou a coletiva; e 2. A coletiva foi a mais mal-organizada da história. Primeiro que ninguém leu a bosta do release antes, e as perguntas foram as mais descabidas do mundo; e segundo que Fábio encheu o saco e mandou todo mundo ir se catar, encerrando a coletiva com menos de dez minutos de duração.

Adoro coletiva


Segunda Parte: Coquetel

Descemos para o coquetel. Espumante (prosecco), whisky 12 anos, vinho tinto, foie gras, tartar de salmão, trouxinhas de shimeji etc. – tudo muito bom e à vontade. Fomos dar uma volta no salão, que já estava cheio, mas famoso que é bom nada. Preparados para esse imprevisto, a organização do evento contratou apenas garçons morenos e altos pro povo não ficar puto e ir embora. A impressão que dava é que iam subir na mesa e tirar o avental de lantejoula ou fazer um strip em cima do balcão de caipirinha – o que não aconteceu.

Mais meia hora e mais duas taças de prosecco, os famosos começaram a chegar.

Mariana de Belém

Ricardo Almeida

Rafael Scapucim e Felipeh Campos

Sylvia Design

Aí Fábio Jr. desceu pro coquetel. Tentamos nos aproximar, mas depois de duas cotoveladas na costela, desistimos. A quantidade de mulher em cima dele, gritando e se descabelando, era suficiente para Mari Alexandre chorar até desidratar, estilo Casa dos Artistas mesmo. Nos recusamos a passar por aquilo e resolvemos esperar pra fazer as perguntas depois.


Terceira Parte: D-d-d-d-denúncia

Quando ele subiu pra sala de imprensa de novo, váááários jornalistas subiram atrás. E vários convidados também. Mas aí começou o furdunço. Aleatoriamente, a assessora de imprensa que não sentia frio escolhia quem podia e quem não podia subir. Seis meninas de não mais de 20 anos, de vestidinho curto e salto alto puderam. A gente não pôde. Felipeh pôde. Rafael não. Os câmeras da RedeTV! puderam. A repórter – de microfone na mão – não. A situação beirou o ridículo, e, depois de muita gente rindo e outras quase xingando a mãe da assessora sem frio, resolvemos pegar nossos casacos – já fazia oito graus em SP – e ir embora.


Agradecimentos:

À Casa Petra, pelo lugar maravilhoso
À Celebrare, pelo melhor ravioli do mundo e pelos garçons gostosos
A Eladio Machado, pelas fotos foda
A Great Assessoria de Imprensa

by Urgh.us