Blog Te Dou um Dado?

Na biografia do Paulo Coelho, que será lançada no próximo dia 9, o escritor revela pro jornalista Fernando Morais que já teve três relações homossexuais e que em uma delas a coisa teve, digamos, começo, meio e fim (sic).

Achamos delicioso pensar o que seria “digamos, começo, meio e fim” em uma relação homossexual. Teria sido a primeira apenas uma punhetinha amiga, a segunda um boquetinho e na terceira, já que já enfiou um pau na boca, por que não enfiar um no cu? É um tópico a ser pensado, mas vamos pensar em algo mais urgente para a sociedade: Seria Paulo Coelho gay?

“Para o autor da obra, Coelho nunca contrariou a tese de que “não existe ex-gay no mundo”.”

Logo, Paulo Coelho = Viado, pois não existe ex-gay no mundo?

“O Paulo não é ex-gay simplesmente porque nunca foi gay. Ele foi, viu e saiu da experiência convencido de que não queria nada daquilo”, confirma Morais.”

Bem, pensemos, se não existe ex-gay no mundo e se mesmo com o “digamos, começo, meio e fim” Paulo Coelho nunca foi gay , então… então… A GENTE NÃO É GAY TAMBÉM? Ai, Fernando Morais, fala aqui com a nossa mãe, ela vai ficar tão orgulhosa!

Nosso relacionamento com Britney Spears já passou por vários altos e baixos… fomos do amor ao ódio, passando pelo medo, incompreensão e pena. Finalmente chegamos na admiração:

Impossível não admirar uma pessoa que vale 125 milhões de dólares e se veste como se valesse 125 reais. É quase socialista da parte dela, um ato nobre. Sair de casa vestida assim é a forma que Britney encontrou de dizer que vivemos em um mundo capitalista e o que realmente importa é o que está dentro de cada um de nós. Por que eu vou pentear o meu cabelo se o oriente médio continua em guerra? Não. Não usarei sutiã até que todas as crianças na áfrica possam pagar um sutiã também.

Outra pessoa igualmente digna da nossa admiração é a Amy Winehouse. A gente adora que, mesmo sendo um estrela com milhões no banco, ela ainda atende a porta para qualquer pessoa que tocar sua campainha. Sério. Qualquer um. É só bater que ela larga o que estiver fazendo para abrir a porta. Seja para um fotógrafo, vendedor de enciclopédia ou apenas uma criança querendo um autógrafo:


Um modelo a ser seguido.

Ontem foi a comemoração do aniversário da Mara Manzan no restaurante Baby Beef, na Barra da Tijuca. A Galera do Baby Beef, preocupada com a privacidade dos globais, colocou eles num cercadinho de madeira, como você pode reparar nessa foto:

O problema é que enquanto José Wilker entretinha Leona Cavalli com uma animada conversa sobre o fomento do cinema nacional, Marcos Winter derrubou o tapume e opa, cadê todo mundo? Baby Beef às moscas.


Mas tudo bem. Quanto menos gente, melhor. Sobra mais marshmellow.

Além de “que tipo de pessoa acha que mostrar o dedo do meio ofende alguém?” você também deve estar se perguntando “quem é Luiza Mariani?” e “devemos ficar com medo?”. Calma que a gente responde.

De acordo com a Wikipédia, Luiza Mariani é uma atriz brasileira com os seguintes trabalhos no currículo:

  • Cobras e Lagartos – Júlia Pacheco
  • JK – Idalina Lemos
  • Mandrake – Nininha
  • Desejos de Mulher – Xana
  • Os Normais – Punk
  • Você Decide – Amor em Pedaços
  • Malhação – Isadora
  • Você Decide – Vida Dupla

A gente adora que ela foi a Xana em Desejos de Mulher. Insira aqui o trocadilho lésbico de sua preferência e… isso meio que já responde se você deve ter medo ou não, né? Se hoje, só com personagem secundário que ninguém lembra, ela já se acha no direito de mostrar o dedinho para fotógrafos, é só uma questão de tempo até ela estar agredindo travestis. Tenham medo. A gente teria. Ainda mais com esse olhar de soslaio e batom no dente…

Luiza Mariani te despreza
by Urgh.us