Blog Te Dou um Dado?

Não conseguimos chegar ao fim do vídeo de tanta vergonha. Mas persiste uma dúvida: cadê os pais dessa menina?

Terça-feira, dia da eliminação. Pra falar a verdade, eu não prestei atenção foi em nada, porque eu tava tão nervosa com a possibilidade de aquele senhor ficar no programa que passei o programa inteiro votando no site e nem Mauricio Ricardo eu vi. Então se te perguntarem é só responder isso: não sei, tava votando pro Illuminati vazar. E olha, deu certo.

Você pode também citar qualquer frase do discurso do Bial que vai ficar bonito na fita. Tó:

*
Estava dizendo aqui: parece que eu já vi esse filme. Mas não vi, esse filme é novo, ainda está sendo rodado, o roteiro está sendo escrito aí todos os dias. É que a gente já conhece os atores. Ou pensa que conhece. Aliás, ser conhecido é uma vantagem e uma desvantagem para os veteranos. Quem já viu uma vez compara a primeira e a segunda atuações. E quem resiste a ser comparado a si mesmo? De que lado você fica? Do lado do que já passou ou do lado que ainda não chegou? Só existem passado e futuro. O presente acabou de passar ou ainda está pra chegar. A gente vive de lembranças do passado e de projeções do futuro.

Grandes figuras, vocês dois, marcaram época. Um foi simplesmente campeão. Um supercampeão. A outra roubou meu coração. Meu e o da torcida do Bahia, Vitória, Fluminense de Feira, Juazeiro e Petrolina. Tantas virtudes, ambos. Inteligência, presença de espírito, senso de humor. Dhomini, o cara que nasceu André. Tem tanta fé que mudou até de nome, por fé. Dhomini é uma máquina de crer. Isso traz concentração, poder de observação, força interior. Dhomini, o jeito mulambo de ser rei.

Anamara, como não amar? Em comum com Dhomini, Maroca tem coragem pra dar e emprestar. Coragem, substantivo feminino. A coragem. Coragem tem menos a ver com macheza do que com desejo de justiça. E é esse desejo de justiça que move nossa saudosa Maroca. Tanta sede de justiça que virou polícia! Frente a toda concentração de Dhomini, a intuição desengonçada de Anamara. E graça, que graça, uma autoconfiança surpreendente! Sensualidade, e o charme da humildade. Um jeito majestoso de ser mendiga. Sem falar na voz, repito sempre, sem falar na voz maviosa.

Vamos lá, considerem: nada é mais precioso do que o tempo, daí que uma segunda chance não tem preço, é como uma passagem para a máquina do tempo! Tente outra vez. Se a outra vez não foi feliz, tente outra vez. Se a outra vez foi perfeita, tente outra vez. Se a primeira vez foi feliz e bem-sucedida, por que não buscar reproduzir as circunstâncias da primeira vez na segunda? Repetir a história. Sim, a história se repete. A história se repete, como farsa. Perdeu, campeão!

(Discurso devidamente chupado da transcrição do Cartas para Pi)

*

Quarta-feira, aquele dia de cinco minutinhos de programa antes do jogo de futebol. Quando você vai ver, já foi.

E era show do Naldo.

Se te perguntarem quem é Naldo, a resposta que deve bastar é uma destas duas: “aquele da música whisky ou água de coco”, ou “aquele que pega a Mulher Moranguinho”.

 

by Urgh.us