Blog Te Dou um Dado?

Hoje eu fui na churrascaria e me diverti muito. A carne estava uma merda, mas as traduções dos pratos me fizeram rir bastante:

IMG_5484 IMG_5485 IMG_5486 IMG_5487

Aproveitei que já ia fazer esse post e fui no Google buscar algumas outras imagens maravilhosas de traduções bizarras. Espero que aproveitem:

Traduções bizarras

traducao_copa06 juice traducao_copa08

Se existisse vestibular para fofoqueiro, essa notinha da Retratos da Vida cairia na questão de interpretação de texto:

“Reynaldo Gianecchini anda soltinho pela noite carioca. Discretíssimo, ele conta com a ajuda de amigas para fazer as abordagens em possíveis pretendentes. Ele pega o número do telefone e o encontro acontece fora da boate. Quase ninguém percebe.”

Responda em poucas palavras: O texto acima quis insinuar que ________________

Está todo mundo escrevendo perguntando se não vamos comentar a notinha da coluna Zapping sobre o ator casado de Caminho das Índias que foi convidado a se retirar de um bar em Dubai porque estava se pegando com uma aeromoça, mas cagamos. Se foi em Dubai só pode ser o Alexandre Borges, o André Gonçalves ou o careca albino parceiro da Yvone que nem o nome a gente sabe. Quem se importa? Preferimos fazer uma piadinha infame porém eterna com outra nota da mesma coluna:

Come de tudo

A cantora Dani Carlos, que está no reality show rural “A Fazenda” (que já mudou de nome várias vezes), da Record, avisou que come de tudo, sem nenhum tipo de restrições.

Opa, seu ex-marido também come de tudo.

Recebemos o convite para a festa de aniversário de Renata Banhara, e não temos idéia do que levar de presente. Vamos ler o texto para ver se surge uma luz?

Olha, mudamos de dúvida. Não sabemos mais quem faz aniversário, se é o djRonaldo ou a Renata Banhara. Mas sabemos o que dar de aniversário para alguém que escreve voçê.

O bafafá do dia é a briga entre Tom Zé e Caetano Veloso, e a gente não vê a hora dos dois sairem na porrada porque nada como um bom duelo peso pena regado no dendê para alegrar nossa semana.

Após Caetano elogiar seu novo disco, Tom Zé inaugurou o movimento punk-tropicalista mandando Caetano tomar no cu, ao vivo em seu show, e depois vomitando desaforos em seu blog. Quer dizer, a gente acha que são desaforos, mas nunca entendemos muito bem o que esse povo quer dizer. Decifre conosco:

Não, Caetano. Não posso aceitar. Agora estou irremediavelmente desertado e não posso mais voltar para o colo do grupo baiano. Você sabe que seus braços são preciosos e irresistíveis, mas não posso ir comemorar neles este disco, nem com você.

Escolho, também por dever, privilegiar aqueles que me deram proteção e alento durante todos estes anos – (…) quem são eles? (…) Valdemar Szaniecki me aconselhou a cantar música caipira. Como eu vacilasse, ele apresentou idéia mais ousada e me deu uma longa explicação de como eu, usando um turbante branco com uma pedra no centro, sentado numa alva mesa, com alguns outros utensílios de adivinhação, — como eu poderia, enfim, ganhar a vida com mais facilidade e parar de lhe tomar dinheiro emprestado.

Por causa desses e de outros tantos que aqui esqueço, eu não posso aceitar agora o seu colo e do grupo baiano, que durante todos esses anos me separaram até do que era meu, enquanto gozavam todo o prestígio e privilégios, talvez como ninguém mais neste País analfabeto.

Não sabemos se o “país analfabeto” foi com a gente, povo brasileiro, mas talvez fosse uma boa desenvolver um pouco mais a idéia do turbante branco com uma pedra no centro, porque a nossa associação imediata entre Tom Zé + pedra no centro é igual a:

Carolina Ferraz deu uma entrevista pra revista da Joyce Pascowitch, e o desafio era escrever sobre si mesma. E a gente adorou a idéia, achamos que tem mesmo que dar voz pros artistas. Mais voz pros artistas = mais posts pra gente. Vamos interpretar o texto de Carolina Ferraz?

Quando me pediram para escrever este texto sobre mim, senti medo. Já é bastante difícil escrever sobre qualquer assunto, mas sobre nós mesmos pode ser paralisante. Observei as particularidades do que me rodeia aqui e agora. Estou em um aeroporto, esse lugar onde todos estão de passagem, terra de ninguém. Eu sou um pouco esse lugar de passagem, onde as pessoas ficam alegres, tristes, chegam, partem ou apenas esperam, mas é definitivamente um lugar onde coisas acontecem!

Olha, a gente realmente não entendeu, porque pra gente esse texto ultrapassa as barreiras da metáfora e da construção poética e bate na porta da lisergia. Um aeroporto com esse tipo de viagem, só se for o de Bogotá.

Saudade da época em que as gostosas da TV se contentavam em ser aviões e não filosofavam sobre aeroportos.

Ok, após centenas (e centenas e centenas – sério, última vez que a gente faz promoção com o nosso e-mail oficial) de mensagens, já temos um ganhador. Se não tivéssemos o mínimo de responsabilidade jurídica ganharia a leitora que fez uma piada bem de mau gosto (beijo, Cintia Moraes) mas a grande vencedora é…. Fernanda Dias!

Segundo o Aurélio, “reverter” significa, dentre outras coisas, “retroceder”, verbo que, por sua vez, significa “voltar para trás”. Seria, então, “reverter um abraco especial a vcs” uma forma de abraço, assim, voltada para trás? Posição um tanto incômoda para um homófobo.

Parabéns, Fernanda. Mande um e-mail pra gente com seus dados pessoais para mandarmos sua camiseta!

Enquanto isso, a coisa no BlogLog continua pegando fogo. A gente só queria deixar bem claro que nosso problema com o Vitor Belfort, além da homofobia ululante, é que ele é completamente analfabeto. Não é que ele escreve mal, ele simplesmente não SABE escrever. A gente teria vergonha de escrever uma linha se fosse ele. Você vê a gente lutando vale-tudo? Esse povo acha que só porque tem computador em casa pode sair escrevendo. Se a gente tivesse um tatame em casa a gente DORMIA nele, que é o que a gente sabe fazer. Não vamos sair LUTANDO, então não venha ESCREVENDO.

Sendo assim, ele deve estar se sentindo o Paulo Coelho quando entrou na ABL agora que está entre os 20 mais Blogados. Se ele disser que não merece essa honra, acredite. Ele não merece. Essa cadeira é do Eri Johnson.

Nosso novo homofóbico favorito, Vitor Belfort, publicou uma resposta ao post de ontem em seu blog:

aos blogueiros que adoram uma polemica e falar mal do proximo : cada um de vcs so fazem com que eu possa sentir uma esperanca que um dia isso venha se reverter um abraco especial a vcs . OBS: ERI VC CONSEGUIU CHEGAR EM 2 LUGAR PARABENS ERA TUDO QUE VC DESEJAVA

Geralmente a gente fala que não entendeu alguma coisa só para não perder a piada, mas nesse caso a gente realmente não entendeu picas. “esperanca que um dia isso venha se reverter um abraco especial a vcs .” Como assim? O blog vai se reverter em um abraço? Ele está mandando um abraço? Muito confuso.

Sendo assim, estamos lançando uma nova promoção: mande sua interpretação do texto do Vitor Belfort para [email protected] e concorra a uma camiseta exclusiva do TDUD?. A resposta mais criativa leva o prêmio para casa um abraço especial a vcs.

Valendo!

by Urgh.us